Animal House: Entrevista para o blog Metal Samsara


Há menos de um mês o ANIMAL HOUSE concedeu mais uma entrevista épica, desta vez para o blog carioca Metal Samsara, onde foi abordado as influências da banda, sobre como chegaram a tal evolução em “Limbo”, shows, downloads ilegais e muito mais.

Confira um trecho da mesma feita por Marcos Garcia:

BD: Em “Limbo”, percebe-se não só esta sonoridade mais moderna, mas ao mesmo tempo, se percebe que o lado musical da banda como um todo deu uma bela amadurecida. Novamente: isso vem das mudanças de formação, do amadurecimento de vocês como músicos, ou uma combinação dos dois fatores?

Mutle¥: Muitas pessoas, principalmente na cena nacional atual, torcem o nariz para bandas com abordagem mais contemporâneas. Eu nunca pensei em focar o trabalho em Hard Rock, ou Heavy Metal, ou qualquer outro gênero em específico. O coração do trabalho da ANIMAL HOUSE baseia-se em experimentalismo. Queremos criar um som que seja só nosso, sem fugir das nossas raízes. Conseguimos passar isso muito nas músicas, mostrar exatamente quais são nossas influências musicais e ainda assim imprimir um som único, algo que é só nosso.

BD: Antes, o ANIMAL HOUSE era um quarteto. Agora, formam uma dupla. O que andou acontecendo nesses três anos entre “First Blood” e “Limbo”? E por um acaso, as gravações foram assim somente porque não havia mais ninguém até o momento?

Mutle¥: Aconteceram muitas coisas, nenhuma delas boas infelizmente. Pouco depois do lançamento do “First Blood” eu e o Arion tivemos uma briga bem feia, e ficamos anos sem nos falar. Também tive vários problemas com os músicos que encontrei em santa Catarina. Desde falta de qualidade musical à total falta de profissionalismo. Foi um período bem difícil, onde pensei muito em abandonar o projeto, daí o nome do disco. Outro problema foi o financeiro. Levei quase 2 anos para fazer as pazes com minha conta bancária depois do lançamento do “First Blood”. Como já havia dito, banquei o disco 100% do meu bolso. “Limbo” a mesma coisa.

BD: Mais uma vez: se “First Blood” foi o início, e “Limbo” é o presente, o que podemos esperar da música de vocês para o futuro? E já existe algo de concreto para um próximo trabalho?

Mutle¥: Já respondi isso em uma pergunta anterior, mas vamos de novo, pra não ficar dúvidas: estamos sim trabalhando em músicas novas para nosso próximo álbum, embora eu ainda prefira manter informações como título do disco, quantidade de músicas, entre outras coisas ainda sigilosas. Quem acompanha a banda nas redes sociais já pôde ter um gostinho de uma das nossas novas músicas, chamada “I Am the Sea”. Podem esperar músicas ainda mais bem trabalhadas, com peso, e principalmente originalidade.

Leia a entrevista completa no link a seguir:


Links Relacionados:

Twitter: @animal_house1





Soundcloud: https://soundcloud.com/heavy-and-hell-press

0 comentários: