Alkanza: Entrevista ao site Road to Metal


Recentemente os thrashers catarinenses do ALKANZA concederam uma entrevista ao site gaúcho Road to Metal, onde falaram sobre os problemas do Brasil em que vivemos, novo disco e da certa polemica que entraram sobre o que pensam a respeito de bandas covers.

Confira alguns trechos da entrevista feita com o baixista/vocalista Thiago Bonazza:

RtM: O Alkanza já está gravando seu primeiro disco, alguma música de “Destroyed...” contará no álbum? E existe a possibilidade do EP ser lançado em formato físico?

TB: Já adianto que todas as faixas do EP estarão no disco, mas com algumas pequenas modificações. Lançamos em formato digital para que nossa música fosse divulgada de forma rápida e sem custo para as pessoas conhecerem a banda, e dessa forma quando o disco sair saberem se querem compra-lo ou não, porque se você gostou do EP já é garantia que 50% de seu dinheiro foi bem gasto, e garanto que gostará de 100% dele após ouvi-lo. O EP não será lançado em formato físico e será retirado para download, então quem tem é um material único, e quem não têm baixe, pois é gratuito, mas por tempo limitado.

RtM: As letras desse primeiro trabalho são bem ácidas, como um tapa na cara da sociedade. Qual foi a inspiração para as mesmas?

TB: No cotidiano do brasileiro, das crueldades e desrespeito dos governantes e do próprio povo. Poderia falar de guerras e essas coisas que muitas falam, mas se não arrumamos nossa casa para que falar da casa dos outros? O mundo é um só, mas nosso povo brasileiro filhos de uma pátria rica e corrupta aonde você é o que você tem, onde nossos idosos morrem no lixo, nossas crianças nascem no piso, e a maioria do povo esta preocupado com o final da novela das oito que começa as nove (risos)... É foda, mas estamos ai na luta. Sou contra a violência, mas aqui pecamos por excesso de paciência.

RtM: Recentemente vi nas redes sociais o Alkanza em uma certa polemica, pela seguinte nota lançada: “Músico é quem faz a música, não quem reproduz algo já feito”. O que vocês teriam a acrescentar neste assunto?

TB: Foi MINHA OPINIÃO, e em nenhum momento falei que ela é certa ou errada ou que todos tem que pensar igual a mim, mesmo sabendo que existem muitos que pensam assim. Algumas pessoas que não respeitam opiniões adversas opinaram, e eu respeito, mas outras vieram de forma desrespeitosa com tentativas de colonizar o que eu penso, e falaram sobre humildade, só quero deixar claro que eu RESPEITO às opiniões adversas a minha, e isso é mostrar humildade, é saber que não somos donos da verdade e temos muito a aprender...

Leia a entrevista na íntegra aqui: http://bit.ly/137kVaG


Links Relacionados:







0 comentários: