Godzorder: “Devemos deixar de ser paga-pau de gringo”


Sem papas na língua o baixista/vocalista Rafael Barba concedeu uma entrevista ao blog Canibal Vegetariano onde Barba falou de suas influencias, do que acha do cenário musical atual e dos planos futuros do GODZORDER.

Confira um trecho da entrevista feita pelo blog:

CV: Qual foi sua maior influência para ser baixista e há quanto tempo está na estrada?

RB: Minhas maiores influências foram (e ainda são) James Hetfield e Max Cavalera. Isso é curioso porque sou baixista e tenho influências de guitarristas/vocalistas, embora não sirva pra tocar guitarra. O único baixista que eu considero ter me influenciado foi Rex Brown, do Pantera. Comecei a tocar em 1992, já em uma banda. Aprendi a tocar sozinho. Nunca fiz aulas com professores.

CV: O cenário musical independente passa por momento muito bom. E o metal independente, como tem rolado no Brasil?

RB: Não sei dizer se posso responder a nível de Brasil, mas vejo bandas independentes alçando voos bem altos totalmente por conta própria, se livrando de intermediários e apostando em parcerias diretas para atingir seus objetivos. As bandas estão se preocupando cada vez mais em apresentar um trabalho de boa qualidade e isso vem fortalecendo o underground, atraindo mais fãs e mídia.
CV: Você vê alguma mudança positiva do cenário musical de quando você começou para hoje?

RB: Tudo evoluiu de certa forma, desde a qualidade das bandas aos equipamentos de som, estúdios... E essa interatividade da banda com o público, esse contato mais direto através da internet tornou a coisa mais dinâmica e frenética. Já não se precisa esperar tanto tempo para ver o resultado do seu trabalho perante a mídia. Porém, hoje tudo começa muito rápido e dura muito pouco. Difícil ver bandas evoluindo dentro da sua própria proposta musical.

Confira a entrevista na íntegra no link a seguir: http://bit.ly/1oBtBsS


Links Relacionados:

Twitter: @Godzorderthrash








0 comentários: