Wael Daou: Entrevista ao blog Caldo de Crânio


 Em recente entrevista o guitarrista WAEL DAOU falou de sua origem oriental, de quando começou a tocar e de seus projetos audaciosos para o futuro.

Confira um trecho da entrevista realizada por Jayme Katarro:


CdC: Quais suas principais influências?

WD: Minhas principais influências foram, depois do Metallica: Death, Iced Earth, Jason Becker. Indo pra música clássica: Dvorak, Borodin e Mussorgsky, até o jazz: Frank Gambale e Allan Holdsworth. Mas isso tudo veio depois da música árabe.


CdC: Uma vez você me confidenciou que suas origens orientais acabavam refletindo na sua música. Ouvindo o seu CD Debut, senti isso latente em algumas músicas e passagens, mas já te disse uma vez que esperava que isso fosse ser menos sutil e mais presente nas músicas, assumindo algo que nunca foi feito por esses lados. Pensas em acrescentar mais esse lado ou a ideia é realmente só "paquerar" as influências árabes?

WD: Isso é algo que vem natural. Soa harmonioso aos meus ouvidos, e vem da raiz. Não é algo planejado. Simplesmente vem! Estou gravando um novo cd, e em duas ou três músicas minha esposa participa cantando em árabe! Vai ser animal!


CdC: A música instrumental tem ganhado cada vez mais força no Brasil e isso já vem se refletindo na nossa cidade. Mesmo assim, o instrumental heavy metal é algo novo na cidade e ainda pouco explorado. Ainda sentes dificuldades com isso em arrumar shows ou mesmo conseguir tocadas em festivais ou mostras?

WD: Bem, a música instrumental pra mim é como qualquer música, não tem diferença. Música boa é música boa! Com esse pensamento espero que quem ache a minha música boa não a recrimine por ser instrumental. Acho que consigo agradar um publico bem mais variado do que se as musicas fossem cantadas. Amigas da minha mãe adoraram hehe!

Sobre festivais e mostras, eu tenho dificuldade em encontrar integrantes pro estilo que toco, e acabo fazendo a onda sozinho. Uma banda de um homem só fecha portas. Não é o estilho instrumental que fecha na verdade entende? É o fato de eu tocar sozinho.

Confira a entrevista na íntegra no link a seguir: http://bit.ly/1nBuqGz


Link Relacionados:

Twitter: @waeldaou




0 comentários: